domingo, 25 de fevereiro de 2018

Radialistas aprovam prestação de contas, venda da colônia de férias e pauta de reivindicações da Campanha Salarial de 2018

Na assembleia orçamentária, além da prestação de contas, a categoria presente aprovou a venda da colônia de férias


Por Ronaldo Werneck

Radialistas de todo o estado de São Paulo estiveram reunidos em assembleias para aprovação de prestação de contas do Sindicato e pauta de negociação da campanha salarial 2018.

Radialistas de São Paulo e que vieram em caravanas do interior aprovaram a prestação de contas da diretoria, que garantiu lisura e transparência dos gastos e administração dos recursos da categoria. Na previsão de gastos deste ano de 2018, a diretoria apontou redução significativa do orçamento, para se adptar a nova realidade de recursos que deverão ser arrecadados pela entidade sindical.

Colônica de Férias 
Com déficits seguidos, há anos, a colônia de férias foi discutida pela categoria com a opção de venda. Na assembleia os trabalhadores entenderam que não era possível mais manter uma estrutura dispendiosa e de pouco uso. Com votação quase unânime, foi aprovado a venda da Colônia de Férias dos Radialistas com o compromisso da diretoria dar mais publicidade nas opções de lazer que o Sindicato dos Radialistas tem a oferecer através de parcerias com outras entidades sindicais e com o Club de Férias, que mantém extrutura e convênios com hoteis, resorts e colônia de férias em todo o Brasil. 

Campanha Salarial
Foi aprovado pela assembleia dos radialistas uma pauta que mantém as cláusulas sociais do ano passado e as cláusulas econômicas de reajuste e aumento real para a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT);

- Reajuste de inflação integral pela análise do Índice do Custo de Vida (ICV), calculado pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) e aumento real de 5%.
- 100% de acréscimo sobre a hora normal, para todas as horas extras.
- Adicional noturno de 50%
- Mantém-se as cláusulas de quinquênio que ia até o quinto e, se aprovado, passaria agora ao sexto (18%) e sétimo (21%) quinquênio.
- Participação nos Resultados/abono com 50% do salário com limites; na capital mínimo de R$ 1.143,40 e máximo de R$ 4.267,93. Para cidades com mais de 80 mil habitantes mínimo de R$ 885,67 e máximo de R$ 3.365,77 e para cidades com menos de 80 mil habitantes com mínimo de R$ 721,34 e máximo de R$ 2.528,82.
- Vale refeição no valor de R$ 25,00
- Verba de viagem no valor de R$ 40,00

Saiba quem terá direito aos aumentos e às cláusulas sociais negociadas, se aprovadas, da CCT a partir deste ano
Dentre as cláusulas aprovadas está a da aplicabilidade da convenção coletiva, em adaptação a nova legislação trabalhista aprovada pelo congresso na Reforma Trabalhista. A cláusula determina que a Convenção Coletiva de Trabalho aplica-se exclusivamente aos sócios da entidade sindical e não mais a todos os trabalhadores da categoria. Os trabalhadores não sócios da entidade, para fazer jus aos direitos da convenção coletiva deverão aderir aos termos juntos ao sindicato mediante pagamento de uma taxa de adesão de 10% do salário base do trabalhador e que deverá ser paga diretamente ao sindicato em sua sede, mediante recibo a ser entregue.

Com essa cláusula a diretoria do Sindicato dos Radialistas, bem como os trabalhadores que aprovaram a proposta em assembleia estadual, acreditam corrigir o que consideram uma distorção na aplicação do cumprimento da convenção coletiva, em que deve-se ter direito as conquistas de quem participa da luta, seja ela presente, no enfrentamento ou no financiamento dela.  Ou seja, quem não contribui com nada, não deve ter os mesmos direitos de quem contribui financeiramente para conquistas de tais direitos.

Sérgio Ipoldo, diretor coordenador da entidade, durante a assembleia informou que a pauta de reivindicações é o primeiro passo em direção as conquistas, o segundo e mais importante é a organização dos trabalhadores, junto ao sindicato, para fazer valer suas conquistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário